Fale com o Instituto: (11) 9.8542-6677 (11) 2532-7747

Água: a crise hídrica global e o sertão

Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM) e seus parceiros informaram no relatório “Situação dos Serviços Climáticos 2021: Água”, uma crise hídrica global é iminente.

 

Para revertermos esse processo, se faz necessário melhorar o manejo, o monitoramento e a projeção do fornecimento de água.

 

O aviso dessa crise acontece no momento em que enchentes, secas e outros perigos aumentam, enquanto o número de pessoas que vive com “estresse hídrico” continua a crescer, juntamente com o aumento da população mundial e a redução da disponibilidade de água.

 

Em 2018, 3,6 bilhões de pessoas no mundo tiveram acesso inadequado à água ao longo de um mês. Em 2050, é esperado que esse número passe de 5 bilhões.

 

Leia também:
+ Indústria da seca: fator crítico que contribui para a permanência no sertão nordestino

+ 22 de março: Dia Mundial da Água

Fatores da crise hídrica global

Algumas fatores contribuem para essa crise.

 

Por exemplo, o aumento da temperatura causa mudanças na precipitação em nível regional e global, o que leva à alterações no regime de chuvas e no período agrícola, com um maior impacto na segurança alimentar, na saúde e bem-estar humanos.

 

A crise climática, as secas e o aumento populacional têm pressionado para que cada vez mais pessoas enfrentem escassez de água e estresse hídrico.

 

Enchentes e outros eventos hídricos extremos são outra preocupação. Estes desastres subiram 134% quando comparado com as duas décadas anteriores.

 

O nordeste e a escassez de água

A crise hídrica é um dos problemas recorrentes no sertão.

O nordeste e a escassez de água

 

Como bem sabemos, o sertão nordestino passa por períodos intensos de seca.

 

Este problema crônico do Brasil impacta a vida de milhares de pessoas, perpetuando um cenário onde pessoas não têm acesso à água potável para se hidratar, cozinhar um alimento ou até mesmo para tomar um banho.

 

Para se ter uma ideia, em setembro de 2021, 12 cidades do sul do Piauí, principal área de atuação do Livres, contabilizaram mais de 100 dias sem chuva.

 

As principais causas da seca no sertão nordestino são naturais. A área está localizada em um local com pouca pluviosidade ao longo do ano. O sertão é dificilmente afetado pela massa de ar frio e úmido do sul. Portanto, há uma massa de ar quente e seco de longo prazo no interior do nordeste, e nenhuma chuva é produzida.

 

Mas como ficar de braços cruzados vendo milhares de famílias sem acesso a água?

 

Em resposta a essa pergunta, o Instituto Livres criou o programa Mais Água.

 

Leia também:

+ Como levar água potável para o sertão

+ Doação que gera água e salva vidas

 

O Mais Água viabiliza soluções de acesso à água potável em regiões do sertão onde há escassez hídrica ou o acesso inexistente.

 

Através do programa, implantamos tecnologias que sejam a melhor alternativa para dar acesso à água limpa e potável para milhares de famílias que sofrem com a seca. As soluções com as quais temos trabalhado são:

Para se ter ideia do nosso comprometimento com a transformação do sertão nordestino, até 2021 o Mais Água já havia distribuído mais de 60 milhões de litros de água potável.

 

Estamos transformando vidas no sertão nordestino. E você pode fazer parte dessa transformação.

 

Faça uma doação e nos ajude a transformar vidas no sertão!Mais água para o sertão brasileiro

Translate »
Iniciar conversa
Podemos te ajudar?
Olá!! Como podemos te ajudar?