Fale com o Instituto: (11) 9.8542-6677 (11) 2532-7747

Você sabe quanto vale uma vida digna?

Como praticamente metade da população piauiense sobrevive com cerca 10% da quantia necessária para se ter uma vida digna?

Essa problemática relacionada à uma vida digna é preocupante e parece até mesmo ser apenas uma questão hipotética, que não condiz com a realidade. Infelizmente, essa é uma dura verdade para parte da população nordestina.

Cálculos realizados na metade do ano de 2019 pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) indicam que o valor mínimo necessário para uma família brasileira suprir seus gastos com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e demais necessidades é de aproximadamente R$ 4.214,62. Guarde bem essa informação, ela será muito útil mais à frente.

Maria Romero, do portal G1 Piauí, publicou uma notícia em 12/11/2020 que nos apresenta a seguinte informação: praticamente metade da população do Piauí vive com menos de R$450,00 por mês, ou seja, cerca de 10% do que é apontado por especialistas como a renda ideal para um cidadão e sua família possuírem acesso à serviços básicos, como os já citados acima.

A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 919, DE 30 DE JANEIRO DE 2020, estabeleceu o salário-mínimo no Brasil em R$1.045,00. Valor ainda distante do necessário estimado. Assim, as famílias que possuem a soma da renda mensal per capita inferior à dois salários-mínimos ainda fechem o mês com algumas dificuldades e com a necessidade de fazer algumas adaptações e cortes de gastos em sua rotina. Se essas famílias encontram esses problemas, imagine aquelas que possuem menos de R$450,00 mensais, como apontado pela Pesquisa Nacional De Amostra de Domicílios Contínua (Pnad).

No ranking de incidência de pobreza, entre todas as unidades federativas do Brasil, o Estado do Piauí ocupa quase a primeira posição, ficando atrás apenas do Maranhão. Essa estatística leva em consideração as pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza. Em 2014, cerca de 2,4% da população do Piauí vivia nessa situação. O levantamento mais recente da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua mostra que essa estatística evoluiu para 7,6% da população vivendo com menos de R$90,00 mensais, ou seja, 248 mil pessoas no Piauí estão nessa situação.

Como ter uma vida digna assim?

Ter acesso à alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte e lazer não deveria ser um ‘luxo’ de algumas pessoas, mas sim um direito de todo cidadão. O que as famílias que não recebem ao menos um salário-mínimo deveriam abrir mão em sua vida? Seria do lazer? Ou da educação? Ou será que poderiam renunciar a água e alimentação? Ninguém deveria ser obrigado a fazer esse tipo de escolha. Ao precisar escolher água à educação, o futuro dos jovens é prejudicado. Ao escolher saúde ao lazer, pouco a pouco o trabalhador estará doente e com transtornos causados pelo estresse. Ao fazer essas escolhas, eles precisam abdicar de direitos que deveriam ser garantidos a todo cidadão.

Com nossos projetos, buscamos garantir dignidade e direitos para os sertanejos.

Não permita que os piauienses precisem fazer essa escolha, SEJA UM DOADOR e nos ajude a levar uma chance de vida melhor para o sertão!

Translate »
Iniciar conversa
Podemos te ajudar?
Olá!! Como podemos te ajudar?