Fale com o Instituto: 0800-883-6263

Protagonismo de vida não é uma escolha

Protagonista é mais do que aquele que mais aparece ou o que mais tempo fica em cena…

Hoje, muito se fala sobre a necessidade de nos envolvermos com projetos e trabalhos que façam sentido, que é preciso sair da zona de conforto para alcançarmos nossos sonhos e sermos os protagonistas das nossas próprias vidas. Protagonismo é um valor do “Novo Mundo”, em que a tecnologia avança a passos largos, colocando cada vez mais as máquinas para desempenhar funções mecânicas, nos deixando mais livres para ocuparmos nosso papel enquanto humanos.

Estamos habituados a relacionar a palavra protagonismo ao universo do teatro, TV ou cinema. Mas além de significar aquele que mais aparece ou o que mais tempo fica em cena, também significa “aquele que combate na linha de frente”.  O prefixo da palavra confirma o sentido; proto quer dizer o que vem antes. Um exemplo é “protótipo”, que significa primeiro tipo, dando a entender que é algo que vem antes da versão oficial. Outra palavra é “protoplaneta”, que significa matéria cósmica que pode vir a formar um planeta. 

Quando falamos de vida, assumir o protagonismo não é uma escolha. É uma grande pegadinha não perceber que essa é a única opção que nos cabe. Sempre fomos, somos e seremos os protagonistas das nossas próprias vidas, ninguém pode transferir ao outro essa responsabilidade.

A grande chave está na diferença entre os que compreendem e assumem esse papel e os que não. Não assumir nos coloca automaticamente em desvantagem, pois baixamos nosso grau de atenção e isso diminui nossa capacidade de reação diante dos fatos da vida. Cada ação que tomamos, cada posicionamento, gera um reflexo no mundo, pelo qual somos absolutamente responsáveis, é isso que constrói nosso caminho e quem somos.

Quando tratamos de protagonismo de vida usando como pano de fundo o “combate”, fica fácil perceber o nível de atenção e cuidado que precisamos ter com todas as nossas ações no dia a dia. 

Qual combatente tem mais chances de sobreviver? Não é aquele que tem seus olhos sempre bem abertos? Aquele que conhece o território onde está, possui planos de ataque e defesa, se previne e avança para conquistar seus objetivos?

Uma vez que não há opção entre ser protagonista ou não, bacana entendermos bem que tipo de protagonista queremos ser e tomar cuidado para não focar em querer ser apenas o que mais aparece. Assumir o protagonismo da sua vida envolve também a decisão sobre o legado que você quer deixar.

Legado implica o resultado do resultado da sua vida, das suas escolhas… Quando você escolhe ser um agente efetivo de transformação da vida de outras pessoas, começa a gerar um impacto positivo na nossa sociedade. Já tem uma causa? Apoia alguma causa?

O Instituto Livres atua nas causas da criança, família, água e sertão. Queremos te convidar a ser um protagonista dessa transformação de realidade conos, topa? Veja aqui quantas oportunidades.

Por Danilo España

Fonte: Exame

Translate »