Fale com o Instituto: (11) 9.8542-6677 (11) 2532-7747

Dar é realmente melhor que receber?

Será que DAR é realmente melhor do que RECEBER?

A Abbott perguntou a um milhão de pessoas em todo o mundo o que as faz se sentir mais realizadas e DOAR está consistentemente entre as três principais respostas. Isso faz sentido, pois, aparentemente, nós humanos somos biologicamente propensos a ser generosos. Cientificamente falando, as pesquisas revelam que nós realmente recebemos benefícios físicos e psicológicos quando compartilhamos algo com os demais.

Talvez isso seja realmente verdade, uma vez que sempre ouvimos que dar é melhor do que receber.

“Estamos em uma era em que é legal doar,” afirma Jenny Santi, autora de The Giving Way to Happiness: Stories and Science Behind the Life-Changing Power of Giving. Nascida nas Filipinas e radicada em Nova York, Jenny é consultora em filantropia de doadores e celebridades no Sudeste Asiático e nos Estados Unidos. “Existe uma confluência de fatores. Hoje em dia, com as mídias sociais, há maior conscientização a respeito de diferentes assuntos. Sendo assim, muitas pessoas estão se tornando ativistas por conta própria. Não só a Geração Milênio, mas também os profissionais em meio de carreira e os aposentados.” No livro, ela entrevista várias pessoas, incluindo líderes filantrópicos e celebridades sobre como o ato de doar ajudou não só a mudar o mundo, mas a eles próprios no processo.

“O ato de doar promove um senso de conectividade social,” afirma a Dra. Beth McQuiston, neurologista e diretora médica da Abbott. “Nem sempre tem a ver com dinheiro; pode ser uma questão de cuidar e ajudar os outros. Você pode fazer um pouco a mais de sua sopa preferida para compartilhar com amigos, colegas ou vizinhos. Talvez você possa ajudar um vizinho idoso a cortar a grama, limpar as folhas do quintal ou tirar o lixo. Não precisa ser algo grandioso. O fator chave é a conexão humana.”

Conversamos com Santi e McQuiston sobre os cinco motivos pelos quais as pessoas são geneticamente propensas a doar – e alguns deles irão surpreender você.

Sendo assim, quando for decidir entre escolher um pequeno presente ou fazer algo bom para pessoas, não hesite. Você receberá tanto quanto elas – ou até mais.

1- Propensão biológica universal: uma vantagem de sobrevivência é ajudar os demais, pois ajuda a espécie a se manter viva. Embora o ato de doar seja intrínseco à todas as culturas, desempenha papéis diferentes ao redor do mundo. Pesquisa do INSEAD  levantou o porquê as pessoas com características mais filantrópicas fazem o que fazem e a resposta foi: “deixar um legado”. E isso tem a ver com encontrar um propósito.

2- Assim como o chocolate, DOAR traz sentimentos de prazer que fazem bem à saúde: a parte do cérebro do sentido dos prazeres que nos faz sentir bem é ativada quando ajudamos o próximo. Segundo McQuiston, quando sabemos a quem estamos ajudando, recebemos um incentivo emocional que nos faz sentir conectados a esse alguém. Assim como as pessoas que correm, fazem atividade física para se sentir bem, você é estimulado a doar cada vez mais. Então, da próxima vez que estiver tentado a comer um chocolate, faça uma doação! Vai ter o mesmo efeito de prazer sem as calorias a mais! rsss

3- Recebemos descarga neurológica quando doamos: estudo realizado pela Northwestern University Medical School destacou os motivos pelos quais o ato de doar estimula os centros de recompensa do cérebro. Os teste realizados mostraram que, ao doar, as pessoas tinham os batimentos cardíacos acelerados, ficavam motivadas, alegres e simplesmente, se sentiam muito bem.

4- Ser generoso no presente pode evitar uma ida ao médico no futuro: pasmem! Santi cita a pesquisa Carnegie Mellon University que descobriu que “fazer trabalho voluntário pelo menos 4 horas por semana reduz drasticamente a pressão sanguínea, especialmente em adultos mais velhos”. Existem fatores e estilos de vida positivos que podem ser incorporados aos nossos hábitos e costumes diários a fim de que alcancemos uma vida mais saudável e longeva. O voluntariado é um deles!

5- A gratidão alheia nos deixa mais felizes: “muitos de nós acreditamos que fazer doações anônimas é mais virtuoso”, afirma Santi. Contudo, os estudos revelam que as doações feitas publicamente resultam em mais felicidade e realização. Isso porque a publicidade ou exposição saudável permite ao doador vivenciar a gratidão de quem foi ajudado.

Agora que você sabe tudo isso, que tal investir na sua saúde, bem-estar e longevidade praticando a generosidade, a solidariedade e experimentando ver a transformação na vida de milhares de outros por meio da sua vida?! Faça sua doação! Seja um parceiro doador do Livres!

Fonte: Abbott 

Translate »
Iniciar conversa
Podemos te ajudar?
Olá!! Como podemos te ajudar?