A crise climática e a fome

Análise do Programa Mundial de Alimentos, PMA, mostra que se a temperatura global aumentar 2° Celsius, 189 milhões de pessoas a mais vão enfrentar fome. Este é apenas um dos efeitos da crise climática.

 

Segundo o PMA, a maioria das comunidades vulneráveis depende da agricultura, da pesca ou da criação de gado para sobreviver. O diretor-executivo da agência, David Beasley, explica que “a crise climática está abastecendo uma crise alimentar.”

 

No  Madagáscar, por exemplo, secas severas já empurram 1,1 milhão de pessoas para a fome. Mais de 60% da população do país africano são agricultores ou criadores que ficaram sem meio de subsistência.

 

Economia e refeições mais saudáveis

De São Paulo, a nutricionista e líder da área de Saúde da ONG Fundação Abrinq, Cíntia da Cunha Otoni, explicou à ONU News que é preciso muita criatividade para economizar e ao mesmo tempo, fazer refeições saudáveis. 

 

“As famílias que têm rendas mais apertadas nesse momento de pandemia têm que procurar alimentos de época, que normalmente estão mais abaixo do custo. Falando um pouco da questão do reaproveitamento dos alimentos, se a gente compra uma beterraba com talos, a gente consegue utilizar esses talos num cozido com legumes. Utilizar, por exemplo, carnes que estão mais em conta, como músculo cozido com talos desses alimentos, como beterraba e cenoura, são algumas das alternativas.” 

 

A especialista da Fundação Abrinq, Cíntia da Cunha Otoni, destaca ainda que o encerramento das escolas prejudicou milhões de crianças que dependem da merenda escolar para fazer pelo menos uma refeição por dia.

 

Ações do Livres contra a fome

A fome é algo que impera no sertão nordestino. E, infelizmente, devido às secas recorrentes no sertão e,  atualmente, a pandemia de COVID-19, muitas pessoas tem lutado para levar alimentos para a mesa.

 

Estamos no Piauí combatendo esse cenário com nosso programa Missão Social.

 

Além dos atendimentos psicossociais, cursos, ações com crianças e muitas outras atividades, também atuamos com a entrega de cestas básicas.

 

Entre 2020 e 2021, mais de 110 toneladas de alimentos já foram entregues para a população sertaneja.

 

Isso só foi possível graças aos nossos parceiros e doadores que acreditaram em nosso trabalho.

 

Por isso, pedimos que você nos ajude a levar alimento para a mesa de famílias no sertão nordestino.

 

Conheça nossos programas e faça sua doação para transformar vidas nos sertão!

Translate »
Iniciar conversa
Podemos te ajudar?
Olá!! Como podemos te ajudar?