02 de outubro: dia internacional da não-violência

Hoje, 02 de outubro, é comemorado o Dia Internacional da não-violência.

 

De acordo com a resolução A / RES / 61/271 da Assembleia Geral da ONU, de 15 de junho de 2007, que estabeleceu a comemoração, o Dia Internacional da Não-Violência é uma ocasião para “divulgar a mensagem da não-violência, inclusive por meio da educação e da conscientização pública”.

 

A resolução reafirma “a relevância universal do princípio da não-violência” e o desejo “de assegurar uma cultura de paz, tolerância, compreensão e não-violência”.

 

A violência contra crianças e adolescentes atingiu o número de 50.098 denúncias no primeiro semestre de 2021. Desse total, 40.822 (81%) ocorreram dentro da casa da vítima. Os dados são do Disque 100, um dos canais da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (ONDH/MMFDH).

 

Mais de 93% das denúncias (30.570) são contra a integridade física ou psíquica da vítima. Os registros da Ouvidoria contaram 7.051 restrições de algum tipo de liberdade ou direito individual da criança e do adolescente. 3.355 vítimas também tiveram direitos sociais básicos, como proteção e alimentação, retirados.

Um dos dados mais preocupantes é a frequência das violações registradas. Mais de 70% ocorriam todos os dias, como indica 23.147 denúncias e, do total do primeiro semestre, 10.365 ocorriam a mais de um ano antes do registro na Ouvidoria.

É dever de cada cidadão ficar atento e denunciar qualquer violação de direitos humanos, principalmente aquelas em que as crianças e os adolescentes são as vítimas. 

 

O uso da não-violência para resolução de conflitos

O Instituto Livres preza pelo estabelecimento da paz onde quer que se encontre presente.

 

Indo de encontro com a ODS 16 – Paz, justiça e instituições eficazes, buscamos estabelecer um relacionamento intenso com os líderes governamentais e comunitários, a fim de chegar a resoluções de conflitos através da paz.

 

Outra forma como atuamos nessa área é através do nosso programa Livre Ser Sertão e Livre Ser Acolhimento.

 

O programa promove o acolhimento integral de crianças e adolescentes em condições de alta vulnerabilidade e complexidade social, vítimas de situações de violação dos seus direitos.

 

Os acolhidos têm acesso à moradia, alimentação, proteção, atividades de formação de vínculos sociais, e asseguramos os direitos à saúde e educação, além de acompanhamento sociofamiliar.

 

Promovemos ações psicopedagógicas de restauração e transformação que preparam a criança e adolescente para serem agentes de suas vidas e de um futuro melhor.

 

Com ênfase no combate a situações de violação dos direitos da criança e do adolescente, visamos contribuir com mudanças positivas no contexto familiar para que elas tenham qualidade de vida.

 

Atualmente, estamos operando o projeto na cidade de Santo André, na região do ABC de São Paulo.

 

Esses nossos esforços contribuem para reduzir o nível de violência familiar e social, além de cultivar ações a cultura de não-violência em crianças e adolescentes.

 

“As nossas crianças não irão ficar sem proteção. A nossa gestão acompanha com o cuidado e o carinho necessário para acolher a todos. É preciso dar um basta na violência doméstica, seja por meio das denúncias, pela ação das autoridades e, principalmente, pela conscientização da família”, alerta a ministra Damares Alves.

 

Convidamos você a conhecer os nossos programas e meios de atuação do Livres.

 

Acesse nosso blog e mantenha-se atualizado sobre nossas ações!

Translate »
Iniciar conversa
Podemos te ajudar?
Olá!! Como podemos te ajudar?