Aprenda a Desaprender e Reaprender

Aprenda a Desaprender e Reaprender

Estes últimos dias também estão sendo diferentes para você? O tal do novo normal nos leva a um ponto em comum: aprenda a desaprender e a reaprender! Não podemos continuar nem retomar de onde estávamos. Precisamos adaptar.

Em vez de algo presencial, você provavelmente fez uma vídeo-chamada, uma ligação, ou até mesmo reuniu toda família em algum aplicativo.

Essa é uma das várias mudanças que estes novos tempos de isolamento social trouxeram para todos nós.

E isso mostra que estamos aprendendo a viver neste novo normal, criando saídas e soluções para uma nova realidade.

Por isso, a mensagem que queremos levar até você é: aprenda a desaprender e a reaprender.

Só assim podemos continuar dando um jeito para nos adaptarmos e criarmos soluções neste “novo normal”, com mais segurança e com novas oportunidades nestes tempos de crise.

Aqui no LIVRES, nós acreditamos que essas oportunidades não surgem do nada. É preciso criá-las! Por aqui, estamos aprendendo a trabalhar homeoffice estando totalmente conectados, a priorizar nossas ações e recursos sendo mais produtivos, a reduzir nossas despesas… Desaprendemos a depender da estrutura física! Reaprendemos novas competências necessárias para o fazer do dia-a-dia, novas ferramentas de reuniões periódicas, a fazer da nossa necessidade uma oportunidade.

Por isso, se você está interessado(a) em aprender a criar suas próprias oportunidades no lugar mais inovador do mundo… comece já! Em sua própria casa, diante do seu computador e com os recursos que se encontram disponíveis. Seja criativo! Olhe o copo meio cheio, rsss…

Na área emocional… sabemos que a pandemia da Covid-19 tem despertado um turbilhão de sentimentos na sociedade. Segundo Mariana Ferrão, fundadora da Soul.Me, aprender a identificar a conexão entre sentimentos e eventos específicos é importante para lidar com as emoções de uma maneira saudável.

Não se deve afastar dos sentimentos negativos, mas enfrentá-los e entender porque se sente desta forma. Segundo a empresária, não identificar as suas emoções poderá aumentar o seu estresse:

“Se você não estiver ciente e aceitando seus próprios sentimentos, não se conectará aos sentimentos das pessoas ao seu redor. Por isso, permita-se sentir!”

Nesse sentido, o consenso é de que a crise age como um gatilho que dispara inovações e acelera projetos, processos e mudanças. É também um momento em que somos forçados a olhar para dentro e buscar nos nossos propósito, valores e princípios, as pontes que conduzirão a travessia para um novo patamar ou aquilo que se chama agora de “um novo normal”, afirma Lídia Abdalla, da Sabin Medicina Diagnóstica.

Para o CEO da Faurecia, Abdo Kassisse, o momento provocou a criação de ambientes mais voltados para a inovação, algo que envolve não só pensar em novas alternativas como também desenvolver maior tolerância. Na sua visão, todas as prioridades estão sendo revisitadas. A crise revelou vulnerabilidades que podem ser corrigidas, o que fará com que todos saiam mais fortes e mais preparados para os próximos desafios.

O que você aprendeu pessoalmente com essa situação? O que está tendo que reaprender? E desaprender?!! Compartilha com a gente!

Fontes de dados: StartSe e FDC

Translate »
Iniciar conversa
Podemos te ajudar?
Olá!! Como podemos te ajudar?